Todos os posts arquivados em “Juventude trabalhadora

DSC_0588

Dia Nacional da Juventude

Dia de luta com passado, presente e futuro!_MG_4463

Nas mais difíceis condições e sob diferentes tipos de ataques, a juventude nunca ficou calada e teve sempre um papel central na luta pela mudança da sociedade. Hoje, como no passado, a juventude está presente e não desarma.

Este ano o Dia Nacional da Juventude foi assinalado no dia 31 de Março com uma manifestação convocada pela Interjovem/CGTP-In e que contou com a presença de milhares de jovens trabalhadores.
Vindos de todos os pontos do País, os jovens exigem que se apliquem medidas que ponham um fim ao flagelo social da precariedade, bem como aumentos salariais que permitam ter perspectivas de construir um futuro no nosso país, a redução progressiva dos horários de trabalho para as 35 horas semanais para todos os trabalhadores, taxar mais quem realmente pode pagar mais impostos e aliviar a carga fiscal sobre os trabalhadores. Paralelamente, exigem o desenvolvimento da produção nacional e a economia, em todos os sectores, e a criação de postos de trabalho com direitos.

28 de Março, dia histórico da resistência da juventude

O Dia Nacional da JuveDSC_0689ntude tem uma história que vem dos tempos da longa noite fascista, quando o MUD Juvenil organizou um acampamento em Bela Mandil, no Algarve, a 28 de Março de 1947.
Em resposta às exigências de liberdade e democracia, o regime fascista respondeu com violência e prisões. A partir de então, a juventude portuguesa não deixou de comemorar o dia em luta.

A luta é a solução!

Nas mais difíceis condições e sob diferentes tipos de ataques, a juventude nunca ficou calada e teve sempre um papel central na luta pela mudança da sociedade. Hoje, como no passado, a juventude está presente e não desarma. Ficar na expectativa nunca resolveu os problemas que enfrentamos, por isso, vamos à luta, que só a luta traz futuro para a juventude!

DSC_0621

Jovens trabalhadores em luta contra a precariedade!

A Juventude Comunista Portuguesa saúda todos os jovens trabalhadores que saíram à rua no dia 31 de Março na manifestação convocada pela CGTP-IN/Interjovem, bem como todos aqueles que não podendo participar (muitos fruto do seu próprio vínculo de trabalho precário) estão solidários com esta que também é a sua luta. Sob o mote «Basta! Não a um futuro de precariedade! Exigimos estabilidade!», a juventude comemorou em luta o seu dia, o dia Nacional da Juventude.

Nos últimos anos, em especial nos últimos quatro anos, os jovens viram os seus direitos serem atacados de forma acentuada com graves consequências nas suas condições de vida, ao mesmo tempo que os lucros dos grandes grupos económicos aumentaram exponencialmente. Demonstrando assim que o grande capital lucra sempre com a exploração de quem trabalha.

A juventude viu e vê-se confrontada com o flagelo do desemprego e da precariedade, com os baixos salários e com os horários desregulados, com o ataque à contratação colectiva e a outros direitos conquistados. Neste processo, a juventude não desarma e tem lutado com determinação e confiança nos locais de trabalho e na rua em defesa do trabalho com direitos, pelo direito a ser feliz a trabalhar em Portugal.

A JCP reafirma que não é tempo de ficar na expectativa. É tempo de luta, porque um outro rumo é possível. É com a intensificação da luta e que os jovens trabalhadores verão os seus problemas resolvidos nos seus locais de trabalho. Cada luta e cada vitória dos trabalhadores contribuirá para um sério combate à precariedade, para o aumento dos salários e para a defesa e conquista de novos direitos.

A JCP apela ainda a todos os jovens trabalhadores que participem nas comemorações populares do 25 de Abril e em todas as acções de luta do 1º de Maio, momentos fundamentais de luta pela mudança de política que a juventude, os trabalhadores o povo e o país precisam.