Saudamos a luta dos estudantes do Ensino Superior de Coimbra

Saudamos a luta dos
estudantes de Coimbra

A Direcção Central do Ensino Superior da JCP saúda a luta dos estudantes do Ensino Superior de Coimbra, reiterando a sua total solidariedade com a grande confiança e determinação dos estudantes em reivindicar as suas mais justas aspirações.

 A concentração e desfile realizado pelos estudantes, que culminou junto das Cantinas Amarelas, para além de um exemplo vigoroso da convicção e garra dos estudantes em reivindicar um Ensino Superior justo e de qualidade, foi também um exemplo demonstrativo das actuais condições deste grau de Ensino e dos seus problemas estruturais. Condições estas que se pautam pela actual ineficácia da Acção Social Escolar, fruto da falta financiamento sobre esta mesma, resultando na degradação dos serviços prestados. Mais concretamente os estudantes denunciaram o número insuficiente de cantinas, o que gera grandes filas para almoçar, com a agravante de as Cantinas Amarelas continuarem sem refeição social, desde há dois anos, e o facto de este ano a Cantina de S. Jerónimo ter aberto sem refeição social. Os estudantes expuseram, também, as condições nas Residências, tanto ao nível da necessidade de obras como o caso de os estudantes que as habitam se verem forçados a comprar equipamentos e electrodomésticos com o seu próprio dinheiro. Uma outra

reivindicação que os estudantes trouxeram à rua é o fraco apoio às Repúblicas de Coimbra, onde muitas das quais enfrentam hoje momentos difíceis, correndo mesmo o risco de despejo.

Os problemas que os estudantes de Coimbra salientaram demonstram o rumo que as sucessivas políticas de direita têm traçado para o Ensino Superior, procurando desvirtuar o conceito da Acção Social Escolar, e gerando um impacto negativo na vida dos estudantes e das suas famílias. A JCP reitera que o futuro do Ensino Superior terá que, inevitavelmente, passar pelo reforço do financiamento no Ensino Superior, nomeadamente nos serviços da Acção
Social Escolar de modo a que esta cumpra, de facto, o seu propósito de garantia na igualdade do acesso, frequência e sucesso escolar através de apoios directos e indirectos.

A Direcção Nacional do Ensino Superior da JCP apela à intensificação da luta organizada dos estudantes em torno das suas justas aspirações, pela resolução dos problemas concretos das suas faculdades e por um Ensino Superior Público, Democrático, Gratuito e de Qualidade.

Saudação à luta Ensino Superior do Porto em defesa de um Ensino Artístico digno e em condições!

Saudamos a luta
Ensino Superior do Porto
em defesa de um Ensino
Artístico digno e em
condições!

A Direcção Central do Ensino Superior da JCP saúda a luta dos estudantes Ensino Superior do Porto em defesa de um Ensino Artístico digno e em condições, reafirmando a sua postura de apoio às justas reivindicações e aspirações dos estudantes e da juventude.

A concentração, de ontem, realizada na Praça D. João I que contou com a presença de várias dezenas de estudantes da FBAUP, FAUP, ESMAE, ESMAD e ESAD demonstra, uma vez mais, a capacidade mobilizadora dos estudantes em lutar por um Ensino Superior que, verdadeiramente, preze todas as suas dimensões. Esta acção expôs os diversos problemas que os estudantes do Ensino Superior Artístico hoje vivem, denunciando o desinvestimento crónico deste grau de Ensino e a progressiva desresponsabilização do Estado sobre as suas funções sociais.

Os estudantes que saudamos deixam bem assente que o Ensino Superior de qualidade não se concretizará enquanto existir a falta de condições ou não existência de salas de aula, o preço exorbitante das propinas, nomeadamente no 2º e 3º ciclo, a não realização de aulas por falta de professores, a inexistência de espaços de estudo, atelier e de trabalho manual nas Instituições, as elevadas despesas nos materiais de belas artes que não são consideradas despesas de educação ou com a falta de apoio e espaços para a exposição de projectos criativos.

A falta de condições das Instituições do Ensino Superior tem reflexos claros na formação dos estudantes destas áreas, sendo o espelho da situação e dos problemas estruturais do Ensino Superior em Portugal. A solução para estes problemas e estas reivindicações só pode passar pelo reforço do Investimento no Ensino Superior.

O desinvestimento em sectores essenciais como o Ensino Superior, bem como a Cultura, é visível e alvo de preocupação dos estudantes.

Só a ruptura com as políticas de direita que têm vindo a ser seguida por sucessivos governos PS, PSD e CDS pode dar estabilidade e futuro ao Ensino Superior e à formação cultural.

A Direcção Central do Ensino Superior da JCP apela à intensificação da luta organizada dos estudantes em torno das suas justas aspirações, pela resolução dos problemas concretos das suas faculdades e por um Ensino Superior Público, Gratuito, Democrático e de Qualidade

SaudaçãoLutaEstudantesEnsinoSuperior

Saudamos a luta
dos estudantes
do Ensino Superior

A Direcção Central do Ensino Superior da Juventude Comunista Portuguesa saúda a luta dos estudantes em defesa de um Ensino Superior público, gratuito, democrático e de qualidade, reiterando que está e estará sempre ao lado das justas aspirações e reivindicações dos estudantes e dos jovens portugueses.

 
A concentração realizada ontem, dia 18 de Novembro, lançada por várias Associações de Estudantes na cidade de Lisboa em frente da Assembleia da República, bem como as diferentes acções de luta realizadas pelos estudantes da FCSH-UNL, FLUL, ISCTE-IUL, FLUP e pelos estudantes da Universidade de Coimbra na passada semana são de extrema importância, seja pelo exemplo dado, seja pela situação que hoje vivemos deixando sementes de esperança para um futuro à altura das suas justas aspirações.
 
Esta acções expuseram os diversos problemas das Instituições do Ensino Superior e reivindicaram a necessidade de mais investimento por parte do Estado. Os estudantes que saudamos deixam bem assente que um Ensino Superior de qualidade não se coaduna com a falta de condições materiais nas faculdades, com a falta de condições nas residências nem com a insuficiência de camas, com a dificuldade de se assegurar o processo de ensino-aprendizagem, nem com a existências de propinas, taxas e emolumentos que continuam a ser uma das principais barreiras de acesso a este grau de ensino, ou com o desmantelamento das Repúblicas em Coimbra.

Neste quadro importa salientar que no contexto da discussão do Orçamento do Estado cabe ao Governo fazer uma opção: ou está do lado dos estudantes ou continua com a opção de não romper com as políticas de direita. Uma e outra opção não são conjugáveis. Neste quadro de opções destaca-se as propostas apresentadas pelo PCP que não baixando os braços ante um Orçamento que não respondem aos problemas do país tem mais uma vez
um conjunto de propostas que resolvem os problemas sentidos pelos estudantes do Ensino Superior, pautando a sua intervenção pela necessidade de uma resposta coerente e que vá de encontro das reivindicações estudantis.

 
O apoio e a valorização deste grau do Ensino Superior passa pela necessidade de resolução de problemas estruturais que afectam os estudantes e as suas famílias. A JCP reitera que o futuro deste grau de Ensino terá que passar pelo que o PCP propõe: pelo fim no imediato de todas as barreiras socioeconómicas, como as propinas em todos os ciclos, pelo reforço e melhoria da Acção Social Escolar, como a melhoria do regulamento de atribuição de bolsas, bem como um aumento do seu valor e pelo reforço de verbas para a construção e reabilitação de residências na Rede Pública de Alojamento Estudantil. A sua valorização passa também, como exprimiram os estudantes, pelo reforço imediato da financiamento para o Ensino Superior, assegurando o seu carácter público e gratuito.
 
A JCP apela à intensificação da luta organizada dos estudantes em torno das suas justas aspirações, pela resolução dos problemas concretos das suas faculdades e por um Ensino Superior público, democrático, gratuito e de qualidade.